E3 – O hype venceu!

cham139_e3

Ah, a E3 (Eletronic Entertainment Expo), esse berço de todo o Hype que o mundo gamer vai consumir por um longo tempo! Infelizmente, ano após ano, os gamers aguardam a edição da feira, que normalmente ocorre em Junho, para ter a sua dose cavalar de hype e normalmente ela vem com trailers, logos ou mesmo simples anúncios que não mostram quase nada do jogo a não ser o nome, e que mesmo assim fazem com que a empresa que gerou o maior número deles “ganhe” a E3. E 2017 não seria diferente, né? Então a gente mostra pra vocês um pouco do que foi apresentado pelas 3 grandes ( Microsoft, Sony e Nintendo, apresentadas aqui na ordem das conferências da E3) e, claro, um pouco das menções honrosas de outros anúncios que foram impactantes na feira.

Microsoft

A gigante empresa de Bill Gates veio ao palco com uma única coisa em mente: consertar os erros de sua conferência do ano passado, apresentando fatos, datas e outras coisas palpáveis para que não exista dúvidas do que  ela guarda para o próximo ano. O destaque claro da empresa ficou para o Project Scorpio, agora apresentado oficialmente como XBox One insert139_xonexX, que foi anunciado como (e realmente é) o console mais poderoso que você já viu. Sendo bem sincero, esse que vos fala não podia estar menos interessado nisso. Tanto o XBox One X quanto o PS4 Pro, na minha mais sincera opinião, são a prova de que essa geração foi lançada antes da hora e agora vem aquele upgrade para que ele dure mais alguns anos mas, sinceramente, mesmo os gamers mais hardcore muitas vezes não vão ter essa TV 4K toda para aproveitar todo o poderio dos consoles, então continue com seu XONE ou PS4 padrão que ta lindo e você vai poder aproveitar os games da mesma forma, já que os jogos lançados daqui pra frente vão rodar nas duas versões dos consoles. Quando o assunto foi games a MS acertou em cheio, começando por anunciar grandes exclusivos como Forza 7 e Crackdown 3, que já balançam o coração da torcida do lado verde da força. Por ser a primeira das grandes a MS ainda teve a oportunidade de apresentar Assassin’s Creed: Origins, o novo game da saga que irá sim se passar no Antigo Egito (não tão antigo assim já que pelo que o trailer indica irá se passar na época de Cleópatra) e irá mostrar a Origem dessa Irmandade de Assassinos tão amada por uns e odiada por outros. Outro game a ser destacado é The Darwin Project, um jogo que vem com toda a pegada de Jogos Vorazes e, pelo que  o trailer apresentou, será um multiplayer de sobrevivência com direito a narradores e tudo mais que um bom reality show merece. Ainda tivemos finalmente a data de lançamento de Cuphead, que deve ser o indie mais esperado de todos os tempos (e pra alegria geral da nação, ele sai ainda esse ano), e trailers fantásticos de Middle-Earth: Shadow of War e Ori and The Will of Wisps e pra fechar com chave de ouro veio Anthem, ou como eu prefiro chamar, “o culpado por Mass Effect: Andromeda ter tantos problemas”, o novo game de exploração espacial da BioWare veio com um trailer fantástico já apresentando um pouco da jogabilidade e deixou todo mundo maluco pra jogar!

insert139_anthem

Sony

Depois de uma conferência excelente no ano passado, a expectativa para a conferência da Sony era bem alta, e sinceramente a decepção depois dela foi ainda maior. Eu não sei se o fato da conferência do ano passado ser tão elogiada, ou pela pressão exercida pela Microsoft logo no começo da feira, mas a Sony tropeçou com uma apresentação  fraca (o que não quer dizer que os anúncios foram fracos), alguns problemas técnicos e um encerramento sem pé nem cabeça que deixou muita gente sem saber se realmente já tinha terminado ou se ainda tinha mais coisa… O pré-show já nos mostrou muitos trailers e anúncios como Undertale no PS4 e trailers de alguns jogos “não tão importantes” como Gran Turismo Sport e Knack 2. Para o palco principal a Sony apostou em exclusivos, tentando mostrar, como sempre, que o PS4 é “o melhor lugar para se jogar”, já abrindo a conferência com Uncharted: The Lost Legacy, Days Gone, o jogo de zumbis que está deixando todo mundo afim de jogar por ter aquele comportamento de enxame que vimos no filme Guerra Mundial Z e insert139_godofwarMonster Hunter World, que marca o retorno da franquia pros consoles de mesa da Sony, onde normalmente são MUITO bem recebidos. Após esse começo explosivo, tivemos uma boa dose de VR, na qual sinceramente não me chamou muito a atenção, apesar de eu ser fascinado pela tecnologia, e logo fomos jogados nas terras nórdicas no novo God of War, que apresentou um trailer lindo, cheio de referências mas só uma previsão de lançamento. O destaque da conferência pra mim foi para Spider-Man que veio com um trailer incrível, cheio de similaridades com a série Arkham e mostrou nosso amigo Miles Morales no final só pra dar um gostinho do jogão que vem aí e claro Detroit: Become Human, o novo jogo da Quantic Dreams que pra variar vem com gráficos pornograficamente lindos e uma trama muito bacana que se bem explorada vai render muitas horas de jogo.

Nintendo

A Big N pra variar não fez uma apresentação ao vivo, optando por um Direct (seu já comum programa de anúncios) e apostando muito, mas assim MUITO MESMO, no Hype pra vencer esse ano, e segundo a internet ela conseguiu! O Direct foi curto, mas com anúncios do logo do novo Metroid Prime e da existência do desenvolvimento de um jogo da série principal de Pokémon pro Nintendo Switch. Pra rebater essa falta de gameplays e anúncios concretos desse começo vieram Super Mario Odyssey, Kirby, Fire Emblem Warriors, Yoshi e Xoneblade Chronicles 2 com gameplays e tudo mais pra já deixar a galera do Switch mais animada e satisfeita já que a falta de jogos na leva inicial do console preocupava alguns. Confesso que eu gostei do que eu vi, mas sem sombra de dúvidas o “anúncio” de Pokemon Switch e o logo de Metroid Prime 4 estavam ali só pra ganhar tempo e gerar Hype, por que sinceramente não agregaram mais nada a apresentação, fora da apresentação, numa jogada que eu não entendi, a Nintendo expandiu as gameplays de seus anúncios e chegou até mesmo a apresentar um remake de Metroid 2 para o Nintendo 3DS que me pareceu merecer um lugar de honra na apresentação principal.

Menções Honrosas

Além dos destaques acima, foram apresentados também Call of Duty WWII com um belíssimo trailer, Life is Strange: Before the Storm (que muitos vão me crucificar por não colocar na parte das conferências, mas eu ainda não tive a chance de jogar o primeiro jogo, então o anúncio não foi tão impactante pra mim), Code Vain que já tinha deixado muita gente empolgada com seu primeiro trailer e agora com a gameplay já tem uma legião de fãs, South Park: A Fenda que Abunda Força (Kudos pra esse título!) que traz muito mais do que foi visto em Stick of Truth ou seja é compra certa e pra mim, o que foi o grande destaque de toda a E3 *se abaixa para evitar os tijolos* Mario + Rabbids: Kingdon Battle, a união dos universos de Mario e Raving Rabbids que já era prometida a muito tempo e veio a luz como um jogo de estratégia tática no melhor XCom mas com todo o charme e os truques de jogabilidade que são famosos das duas franquias, esse merece muito destaque e na minha opinião é o grande título da E3

2017 pode não ter sido o grande ano do Hype na E3, muito menos o ano dos acertos críticos nas conferências, mas pra mim mostrou que as empresas estão preocupadas em mostrar o que interessa, ou seja, jogos. E pelo que foi mostrado, nos temos tempos muito felizes pela frente, principalmente pra quem esquecer o “fanboyismo” e pular de cabeça nas opções que as três grandes apresentaram. Que venha a E3 2018 e que nela possamos ver ainda mais jogo já com gameplay e datas de lançamento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *