Mulheres Maravilhosas

E o tema da hora, o assunto da hora, o filme da hora é Mulher Maravilha. Eu assisti e adorei! Minha filha também adorou! Mas sobre o filme deixo para quem entende melhor do assunto falar.

Me peguei pensando… Mulher Maravilha assim, de laço e bracelete, eu não conheço nenhuma, não. Mas conheço Mulheres (sim, com M maiúsculo mesmo) muito mais Maravilhosas que isso!

Aquela que levanta antes do Sol raiar para deixar a comida pronta aos filhos que ficarão em casa (às vezes sozinhos), e sai para trabalhar com o coração apertado.

Aquela que, após uma jornada exaustiva de trabalho, ainda chega em casa e dá conta de lavar, passar, limpar e cozinhar. De acompanhar a tarefa escolar. De costurar uma meia furada ou pregar um botão. De arrumar as mochilas e lancheiras.

Aquela que optou em não constituir uma família, que se dedica ao trabalho e que ouve críticas vindas de todos os lados (por muitos que nunca sequer  tentaram entender sua opção).

Aquela que já criou seus filhos, que está na época de desacelerar, mas que ainda trabalha, que faz trabalhos manuais, que cuida dos netos.

Aquela que cuida dos pais idosos, que precisam de sua ajuda e zelo. E ainda tem uma família em casa esperando. Que ainda arruma tempo para praticar sua fé. Que chora baixinho no travesseiro, mas não deixa a peteca cair.

Aquela que cuida da casa e ainda tem que ouvir “você só fica em casa?”. Como se não fosse trabalhoso o suficiente.

Aquela que defende quem ama com unhas e dentes. Que compra a briga. Que discute. E que volta atrás.

Aquela que gostaria de ter mais tempo para praticar um esporte. Ou ir mais ao salão. Ou até mesmo conseguir sair com suas amigas para um chopp num final de tarde.

A maioria das Mulheres Maravilhas que conheço pensam numa vida diferente. Sofrem na TPM com o que poderiam ter feito diferente. Mas isso passa, e elas dão valor a vida que tem, a família, aos filhos. E amam tanto, tanto, mas tanto, que nem a ciência entende como cabe tanto amor num coração só.

Talvez seja porque amor só faz conta de multiplicação.

Ou talvez porque isso seja prerrogativa só das Mulheres. Sim, aquelas, Maravilhosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *