O Universo de Sandman

O Sonhar, Livros da Magia, Casa dos Sussurros e Lúcifer.

Todos sabem (ou deveriam saber) que Neil Gaiman é meu autor favorito. O problema é que, por muito tempo, quando eu dizia o nome dele, muita gente não tinha ideia de a quem eu me referia. Seus maiores sucessos eram nos quadrinhos, como Sandman, e seus livros ganhavam adaptações pra televisão ou cinema por sorte (Stardust, Coraline) ou porque ele insistia MUITO (Lugar Nenhum).

Então, subitamente, veio essa onda de adaptar livros e quadrinhos, devido à enorme quantidade de canais. E Lúcifer virou série de sucesso.

Pra quem não sabe, em uma edição de Sandman, Gaiman criou a ideia que Lúcifer deixa o Inferno e vai para Los Angeles, onde é dono de um bar. E só. O desenvolvimento disso aconteceu em uma série mensal do próprio Lúcifer, escrita por Mike Carey. Mas a ideia, o conceito foi de Gaiman, então ficou com ele o crédito na série. Pouco depois, Deuses Americanos virou série. E, do nada, parece que tudo que Gaiman cria é ouro.

Até então, Gaiman fez coisas para tv e cinema, além de continuar nos quadrinhos. Na tv, fez roteiros de Doctor Who, por exemplo. No cinema, o roteiro de Beowulf. Nos quadrinhos, obras fechadas como 1602 e Sandman: Prelúdio. E foi aí que a DC percebeu que, vejam só, Sandman é deles! Eles possuem uma obra que será um dos maiores nomes do currículo de Neil Gaiman!

Com isso, qual não foi minha felicidade com o anúncio de Sandman Universe!

Sandman Universe foi anunciada com um vídeo do próprio Neil Gaiman, ele mesmo uma pessoa que agora sabe usar suas aparições na mídia. Sempre com a mesma postura, o mesmo tom de voz (e talvez a mesma roupa?), Gaiman anuncia que terá um selo dentro da DC. Um selo dentro da DC em 2018 não quer dizer nada, considerando que neste ano a editora anunciou uma dúzia destes. Porém, Sandman Universe seria uma iniciativa única dentro da divisão Vertigo, que Sandman ajudou a criar.

Gaiman não só encabeça a iniciativa, como escolheu a dedo todos que participam da mesma. Que outra pessoa pode fazer isso hoje em dia?

Depois da Casa do Mistério e da Casa dos Segredos, Gaiman criou a Casa dos Sussurros, cheia de novos segredos e mistérios (arrá), e a deu a Nalo Hopkinson. Hopkinson, nascida na Jamaica, escreveu vários livros de sucesso, e foi convidada aos quadrinhos por Gaiman.

O Sonhar ficou com Simon Spurrier, o mais experiente em quadrinhos do grupo (exceto Gaiman), incluindo Juiz Dredd e X-Men. Cabe a ele explorar as repercussões de um sumiço do Sonho em seu reino. A arte, cabe ressaltar, é da brasileira Bilquis Evely.

Lúcifer, agora em nova jornada, tem roteiros de Dan Watters, que antes fez obras ligadas a franquias como Assassin’s Creed e Dark Souls. E Livros da Magia, com os personagens que já foram acusados (?) de serem os originais de Harry Potter (??), serão novamente abertos por Kat Howard, colaboradora de diversas revistas de reimaginação literária.

Gaiman então traz pessoas completamente diferentes, mas cada uma com seu próprio tempero, e dá as chaves de Sandman a elas. Claro, cuidando de tudo bem de perto. Isso tudo me empolga em níveis que não aconteciam fazia tempo, simplesmente pelo fato de que, tendo esse controle, nada será perdido e, principalmente, fútil ou simples. Porque se tem uma coisa que sempre aparece nas histórias de Gaiman é magia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *