Star Wars – Os Últimos Jedi

Qualquer fã de Star Wars que se preze está bem interessado nestes novos tempos. Os rumores da época da Trilogia Clássica finalmente confirmados. Tivemos uma trilogia de Início da grande Saga, contando toda a derrocada de Anakin Skywalker ao lado sombrio da Força, e desde 2015 passamos a acompanhar os eventos que ocorreram após a vitória da Aliança Rebelde contra o Império Galáctico. Ficou bem claro que a primeira batalha foi vencida pela Ordem dos Sith, que em seguida viu suas forças destruídas pelo herdeiro de Skywalker, Luke.

Desde “O Despertar da Força”, é evidente que tudo ficou mais nebuloso. “Rogue One” pincela
bem isto ao expandir a Trilogia de Início, com dissidências e extremismos entre os Rebeldes, e
reinterpreta a Ópera Espacial de George Lucas num realismo intenso. No Episódio VII, a Força
e os Jedi são um credo em dúvida. O Império, desmantelado, se reinventa. As Tropas
Rebeldes, evoluem para uma Resistência. Ao contrário do tom de “O Retorno de Jedi”, a
Galáxia não se viu livre da opressão dos Sith. A Guerra não acabou. E o lado iluminado da
Força não se reergueu.

O Cenário de “Os Últimos Jedi” mostra que ambos os lados foram embevecidos por tanto
poder, em diferentes épocas. Luke (Mark Hamill), agora reencontrado por Rey (Daisy Ridley),
tornou-se um descrente da Força. Como já dito no episódio VII, ele treinou seu sobrinho Ben
Solo, que sucumbiu ao lado sombrio e tornou-se Kylo Ren (Adam Driver). Tal evento trouxe
memórias de episódios amargos da história dos Jedi e da Família Skywalker, ligados
intimamente nos episódios um, dois e três. Luke fala claramente a Rey que as maiores
tragédias recentes envolveram os conhecedores da Força, e que os Jedi tem que acabar pela
segurança de todos. A Primeira Ordem segue em guerra contra a Resistência, liderada pela
Princesa Leia (Carrie Fisher), e o conflito direto é capitaneado por Poe Dameron (Oscar Isaac).
Conforme os tons mais acinzentados da trama vão transparecendo (inclusive
fotograficamente), fica evidente que a trama de mocinhos e bandidos não é tão bifásica, numa
provocação pertinente. Tanto a Primeira Ordem quanto a Resistência seguem ideais. E há a
interpretação dos mesmos.

Assim, atinge-se o objetivo do filme: Enquanto nos despedimos aos poucos da geração
clássica, restaura-se o credo heróico que aprendemos na Trilogia Original, mas dessa vez é
forte dentro da Tela. A Ordem dos Jedi, a Aliança Rebelde, toda a composição de bravos
guerreiros que aprendemos a amar e nos inspirar, ressurge como a lenda ancestral que decaiu
com a negligência do Conselho na avaliação de Anakin Skywalker. O envolvimento
político-religioso dos Jedi os destruiu, e reforçou os Sith. As Lendas perpetuarão os heróis da
Força.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *