West Coast Avengers 1 – Review

Calma, esse texto não tem spoilers.

 

WEST COAST AVENGERS 1
Kelly Thompson e Stefano Caselli
Marvel

Eu sempre digo que o número um de uma série deve permitir que novos leitores peguem e entendam tudo. É muito difícil manter leitores quando sempre se necessita de uma leitura prévia.

Dito isso, West Coast Avengers é uma faca de dois gumes.

O roteiro de Kelly Thompson é leve, e ela faz questão de apresentar tudo que seja necessário. Porém, pode ser apresentação DEMAIS. Ela, que escrevia a série da Gaviã Arqueira, está muito a vontade com a personagem, o que ajuda. Disso, usar o Gavião Arqueiro original, com o qual o público está mais acostumado, ainda mais com os filmes, é uma ótima pedida. O problema vem dos outros: America Chavez, que teve sua série mensal, Quentin Quire, que teve várias passagens pelos X-Men (aliás, por que ele saiu??) e Gwenpool, criada baseada em uma piada mas que teve sua série mensal e parte da mesma popularidade do Deadpool. Tem o namorado da Gaviã, mas ele é novo, então tá tudo bem.

Os Vingadores da Costa Oeste surgiram originalmente nos anos 1980, quando a formação era tão grande que parte dela, liderada pelo Gavião Arqueiro, foi para a Califórnia, onde hoje é a Academia dos Vingadores (um conceito completamente abandonado anos depois). Então, obviamente usar o mesmo título visa pegar o público saudosista, mas com um pezinho no futuro, em uma estruturação própria de Kelly Thompson, também respeitando a identidade dos Gaviões Arqueiros criada por Matt Fraction e Jeff Lemire em suas fases premiadas e admiradas.

Se há algo mais incrível que a leveza do roteiro de Thompson (que cria cópias dos herois como um imitador do Wolverine que usa facas), é a arte de Caselli. Com sua leveza e agilidade, Caselli já demonstrou que é bom em gibis como Vingadores. Porém, a Gaviã Arqueira exige alguém que saiba fazer expressões faciais diversas, e aqui Caselli mostra como é um artista “filho” de Kevin Maguire. Sim, eu estou comparando essa equipe à Liga da Justiça Internacional.

Apesar de trazer mais entretenimento a quem já conhece os personagens, essa nova fase dos Vingadores da Costa Oeste pode ter futuro caso deixe de lado a equipe-mãe e siga seu caminho mais leve, mais californiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *